Qual a diferença entre investidor-anjo, venture capital e crowdfunding?

Crowdfunding, investidor-anjo ou venture capital: afinal, qual é o melhor caminho para financiar sua startup?

 

Essa é uma dúvida comum entre os empreendedores criativos, já que captar recursos é fundamental para o crescimento acelerado do negócio.

 

Hoje, não faltam pessoas e empresas dispostas a fazer aportes em startups com alto potencial de crescimento, mas você precisa saber onde encontrá-los.

 

Vamos ajudar explicando a diferença entre crowdfunding, investidor-anjo e venture capital, que são as principais opções do ecossistema.

 

Continue lendo e saiba qual fonte de financiamento escolher. 

 

Crowdfunding, investidor-anjo e venture capital: qual a diferença?

Crowdfunding, investidor-anjo e venture capital são três caminhos diferentes para financiar as atividades de uma startup.

 

Afinal, não basta ter uma grande ideia para começar a empreender no ecossistema de inovação: é preciso ter também os recursos financeiros necessários para escalar o negócio

 

O empreendedor pode até se arriscar a tirar todo o capital inicial do próprio bolso - o chamado bootstrapping ou self-funding -, mas nem sempre é possível dispor de muito dinheiro no início de um negócio.

 

Além disso, abrir uma startup significa enfrentar um ambiente de incertezas, e isso pede um investimento de risco.

 

Felizmente, existem muitos investidores dispostos a fazer aportes em negócios inovadores com alto potencial de crescimento.

 

Para você ter uma ideia, foram investidos R$ 2,49 bilhões em startups brasileiras entre janeiro e outubro de 2020, segundo dados da empresa de inovação Distrito, publicados na Exame

 

Esses recursos podem ser acessados por meio do crowdfunding, investidor-anjo e venture capital, como veremos a seguir, na explicação de cada conceito. 

 

Veja o que eles significam no mercado das startups. 

 

O que é crowdfunding?

 

Crowdfunding significa “financiamento coletivo”, ou uma versão mais moderna e 100% online da famosa “vaquinha”.

 

Nessa modalidade, o empreendedor lança seu projeto de startup em uma plataforma de crowdfunding e consegue captar recursos de apoiadores interessados na ideia - geralmente, pessoas físicas.

 

Para atrair colaboradores, a campanha pode oferecer brindes, prêmios e protótipos em troca dos aportes.

 

Mas tem um detalhe importante: se a meta de financiamento não for alcançada dentro do prazo determinado pela plataforma, o empreendedor não recebe nada.

 

É importante não confundir o crowdfunding com o equity funding.

 

No primeiro, os apoiadores não têm qualquer participação na empresa, sendo mais uma forma de “pré-compra” da solução oferecida.

 

Já o segundo é uma forma de investimento que garante participação minoritária. 

 

Alguns exemplos de plataformas de crowdfunding são KickStarte e Fundable.

 

O que é investidor-anjo?

 

Investidor-anjo é um empreendedor ou executivo que aloca uma parte de seus recursos em startups com alto potencial de crescimento.

 

Ele é chamado assim porque é uma das figuras mais importantes para impulsionar uma startup em seu início, quando a verba é curta, mas os planos são ambiciosos.

 

Geralmente, o investidor-anjo possui ampla experiência como empreendedor e apoia a empresa não apenas com dinheiro, mas também com orientações à gestão

 

A vantagem, para ele, é ter a chance de diversificar seus investimentos e garantir sua participação em empresas promissoras. 

 

Quando o novo marco legal das startups começar a valer, esse tipo de investidor também terá a opção de entrar apenas com o capital, sem participar da administração do negócio ou responder por qualquer dívida.

 

O que é venture capital?

 

Venture capital, ou capital de risco, é uma modalidade de investimento alternativa focada em startups e scale-ups.

 

No mercado, existem vários fundos de investimentos de private equity e venture capital que alocam os recursos de seus cotistas em empresas inovadoras com grande potencial de escalabilidade.

 

De modo geral, o investidor de risco pode entrar nessa modalidade por meio de companhias de participações, fundos de investimento em participações (FIPs) ou até mesmo sozinho, se tiver muita experiência e for qualificado para tal.

 

É no venture capital que acontecem as famosas rodadas de investimentos em startups, que geralmente são organizadas de acordo com a fase de evolução da empresa em um modelo de negócio escalável.

 

Veja aqui o Case da Captable, plataforma de Investimentos da Startse, que conta com a parceria da Comece para fazer a avaliação das startups em sua plataforma:

 

 

 

Comparação entre crowdfunding, investidor-anjo e venture capital

Na tabela abaixo, vamos comparar as opções de crowdfunding, investidor-anjo e venture capital para deixar as diferenças mais claras.

 

Acompanhe:

 

Crowdfunding

Investidor-anjo

Venture Capital

É uma campanha de financiamento coletivo mediada por uma plataforma online

É uma pessoa física ou jurídica que escolhe investir em startups com alto potencial de crescimento logo em seu início 

É uma modalidade de investimento de alto risco para investidores arrojados que pode ser acessada por meio de fundos e empresas de participações 

Não envolve participação societária na startup

Tem como contrapartida a participação societária 

Tem como contrapartida a participação societária 

Pode ser feito em qualquer estágio da startup, mas é mais comum no início

É conhecido por investir em startups que estão nascendo e apoiar seu crescimento

Investe apenas em startups e scale-ups selecionadas que já estão em um estágio mais maduro ou provaram seu potencial

A campanha pode ser aberta pelo próprio empreendedor em qualquer site de crowdfunding

O empreendedor deve desenvolver um pitch convincente e procurar um investidor-anjo do seu próprio networking ou de uma rede de investidores

A startup passa por um processo rigoroso de avaliação e due diligence para ser incluída no portfólio de fundos de venture capital

 

 

Do que a sua empresa precisa?

Agora que você conhece os conceitos de crowdfunding, venture capital e investidor-anjo, fica mais fácil escolher a melhor fonte de financiamento para o seu negócio.

 

Se você está começando e acredita que seu negócio tem grande potencial para crescer e ser um sucesso no mercado, pode ser interessante optar pelo financiamento coletivo ou investidor-anjo.

 

O investidor poderá apoiar mais diretamente seu negócio, mas, em contrapartida, vai exigir uma participação minoritária.

 

Já o crowdfunding é um modelo mais arriscado.

 

Exige grande mobilização e divulgação para alcançar a meta, além de uma ideia com grande apelo junto ao público, mas ninguém terá participação no seu negócio.

 

Por fim, o venture capital é um objetivo de longo prazo, voltado especialmente para scale-ups em expansão contínua.

 

Seja qual for seu financiamento preferido, a Comece Com o Pé Direito está aqui para dar apoio na gestão contábil e financeira.

 

Assim, você garante que seu negócio estará em ordem e apto para receber os aportes. 

 

Entendeu a diferença entre investidor-anjo, venture capital e crowdfunding?

 

 

Então, conheça nossas soluções de contabilidade consultiva e BPO Financeiro para agilizar sua captação de investimentos.